.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. MEU DEVANEAR

. O VERDADEIRO E O MENTIROS...

. SAUDADES DUMA VELHINHA

. DO VENTO NORTE ME LEMBREI

. AVE SOLITÁRIA

. ESCRAVO DA AMBIÇÃO (O EGO...

. A SUPORTAR O MAL

. OLHANDO O SEU PASSADO

. AMOR É DOCE MOSTO NUM SER

. DISCURSOS SÃO PALAVRAS BU...

.arquivos

. Junho 2018

. Maio 2018

. Janeiro 2018

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Setembro 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.favorito

. INTRANQUILO

blogs SAPO

.subscrever feeds

Terça-feira, 31 de Janeiro de 2017

PETULANTE

Há em qualquer ser humano a mania
De julgar-se mais qu'o seu semelhante
E nessa aberração segue p'la vida adiante
Em ridícula sobranceria
 
Petulância  a trajar dia a dia
Afastando-se das pessoas petulante
O que revela ser um insignificante
Ante os que a simplicidade guia
 
O amor a igualdade nada lhe diz
Anda na vida perdido, errado,
É, verdade nua e crua um infeliz,
 
Pois acaba por ficar só, isolado,
Seu destino, austero assim o quis,
Para petulante o tinha talhado
 
          João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 11:56

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 26 de Janeiro de 2017

INTRANQUILO

Desde a formação do Mundo
Que as pessoas não se entendem
Com razão ou sem razão se ofendem
Divergindo em quase tudo
 
Genuína verdade que intranquilo aludo
Já que sem esp'rança qu'as pessoas se emendem
Pois que umas p'ró bem outras p'ró mal tendem
E a observar tal incompreensão me desiludo
 
E medito no errado comportamento
Com que se traja a Humanidade
Que me origina sofrimento
 
E tristeza que o coração me invade
Me martiriza o pensamento
Ante a crua e genuína verdade
 
          João M. Grazina (Jodro)
 
 
publicado por CAMAGE às 11:47

link do post | comentar | favorito (2)
Terça-feira, 24 de Janeiro de 2017

ALFAZEMA BRANCA

Alfazema branca a propagar
À sua volta perfume extasiante
Que aspiro feliz, radiante,
Encantado a bela planta a olhar
 
Com robusto caule ramos a originar
Que se multiplicam p'lo tempo andante
A encorpá-la e cresce pujante
Esplendorosa a verdejar
 
Que acarinho embevecido
P'lo seu aroma com ternura envolvido
Que minhas mãos embebe com primor
 
Que cheiro com intensidade
O coração a bater de felicidade
Subjugado ao divinal odor
 
          João M. Grazina (Jodro)
 
publicado por CAMAGE às 18:34

link do post | comentar | favorito
Domingo, 22 de Janeiro de 2017

O ACONTECER

Todos dependemos do acontecer
Que decorre com naturalidade
Imprevisível desprovido de equidade
Maneira obscura de proceder
 
Que ninguém consegue entender
Qual o desígnio a finalidade
De tão pertinaz obscuridade
A deixar atónito o humano ser
 
O acontecer é um mistério
Qu'o Homem não sabe decifrar
Ora lhe aparece sorridente ora austero
 
O que o faz intranquilo meditar
No porquê de tão aberrante critério
Que tanto dá p'ra mal como p'ra bem tratar
 
          João M. Grazina (Jodro)

 

publicado por CAMAGE às 16:17

link do post | comentar | favorito
Sábado, 21 de Janeiro de 2017

COM PERSEVERANÇA

Luta o Homem pela felicidade
Pela vida bela, fascinante,
A que se prende feliz radiante
Enquanto vai avançando na idade
 
Mas viver, mais viver é uma vontade,
Que em pleno acalenta delirante
A toda a hora a todo o instante
Que deseja com ansiedade
 
P'la vida, p'la felicidade a lutar,
Se consagra com perseverança
Certamente a meditar
 
Com o coração palpitando esp'rança
De muitos anos de vida durar
P'ra nela semear e colher amor com abastança
 
          João M. Grazina (Jodro)
 
publicado por CAMAGE às 18:26

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

CAMPO TRANQUILO, FASCINANTE

Olho o campo com deslumbrantes flores
Num fundo verde p'la Natureza gerado
De ervas daninhas em aglomerado
Que  mais  lhes realçam as lindas cores
 
Campo tranquilo onde não ouço clamores
Do Homem em contínuo arrazoado
E por ervas e flores sigo descansado
Esquecido dos amargos dissabores
 
E rochas dispersas com musgo verdejante
Encontro a todo o instante
Que cismático a observar me aplico
 
E feliz pelo campo a deambular
Que não me canso de admirar
Preso ao seu fascínio fico
 
          João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 16:22

link do post | comentar | favorito

QUE INTERESSA!

Que interessa fama ou sorte ter
Se a morte com o Homem desavinda
O mata com crueza infinda
Tudo lhe fazendo esquecer
 
Que naturalmente fica sem saber
Que foi famoso enquanto vida
Que teve sorte bela, florida,
Alvorada que findou no escurecer
 
Foi para as artes vocacionado
Que com génio e amor teceu
E lhe originou ser afamado
 
E favorecido pela sorte viveu
Que lhe serviu tanto bem alcançado
Se de nada se lembra pois que morreu!
 
          João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 11:47

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

TRISTEMENTE

Vivo triste desmotivado
De meu coração foi expulsa a alegria
Pela tristeza plena de  vilania
Feliz por me ver desalentado
 
Quando pela minha juventude brado
Que junto de meu coração queria
Mas não, isso é pura nostalgia,
Recordações do meu passado
 
É a saudade a todo o instante
A dominar-me com a tristeza
De não mais ser jovem pleno pujante
 
E assim roubar-me à vida a beleza
Que em tempos idos foi bela fascinante
Viver para quê? Para esta certeza!
 
          João M. Grazina (Jodro)
 
 
 
publicado por CAMAGE às 14:09

link do post | comentar | favorito

SENTIMENTOS OPOSTOS

A verdade, pura cristalina,
E a mentira, turva de negra cor,
Que à verdade não dá valor
E que a enganá-la se atina
 
Sem escrúpulos, mentirosa genuína,
A que se dedica com ardor
À honestidade não tem amor
Dela escarnece a abomina
 
A verdade, que segue sincera, virtuosa,
Franca, da lealdade amante,
Com naturalidade maviosa
 
A mentira, traiçoeira, aviltante,
Venenosos espinhos da bela rosa
Que é a verdade amena dulcificante
 
          João M. Grazina (Jodro)
 
publicado por CAMAGE às 11:25

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 17 de Janeiro de 2017

DE VERDE VESTINDO

Eucaliptos no campo em grandeza
Majestosos de verde vestindo
Pujantes crescendo, subindo,
A olharem do alto o campo que viceja
 
E deveras cativo à beleza
Do verde, esperança transmitindo,
Medito nas pessoas os corações sorrindo
À espera dum bem que se deseja
 
Eucaliptos enlevado a contemplar
Absorto na sua grandiosidade
No verde sedutor deles a emanar
 
Que me invadem com suavidade
O coração d'esp'rança de bens alcançar
Que anseio se convertam em verdade
 
          João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 18:29

link do post | comentar | favorito