.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. MEU DEVANEAR

. O VERDADEIRO E O MENTIROS...

. SAUDADES DUMA VELHINHA

. DO VENTO NORTE ME LEMBREI

. AVE SOLITÁRIA

. ESCRAVO DA AMBIÇÃO (O EGO...

. A SUPORTAR O MAL

. OLHANDO O SEU PASSADO

. AMOR É DOCE MOSTO NUM SER

. DISCURSOS SÃO PALAVRAS BU...

.arquivos

. Junho 2018

. Maio 2018

. Janeiro 2018

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Setembro 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.favorito

. INTRANQUILO

blogs SAPO

.subscrever feeds

Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009

ÚNICA MULHER, ANSIADO AMOR!

    Ver imagem em tamanho real
 
 
 
  
 
 
 
 
 
 Infinitas mulheres olhamos
Em qualquer sítio, na rua a passar,
Só mera curiosidade há nesse olhar
Para nenhuma nosso sentir inclinamos
 
Mas eis que em êxtase ficamos
O coração delirante a palpitar
Presos numa mulher, ao seu encantar,
Única que para admirar paramos
 
Em nosso sentir mulher diferente
A mais pura, a mais bela, a mais atraente,
De olhos divinos rosto sedutor
 
Estrela da nossa paixão que brilhou
Para sempre nossa vida iluminou
Divinamente o nosso ansiado amor
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 18:40

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 29 de Setembro de 2009

OS CORPOS CELESTES INSPIRAM-ME POESIA

   Há noites em que olho a Lua a vaguear
No céu infindo, estrelas que se adoram,
Incontáveis, que nele moram,
Corpos celestes meus olhos a encantar
 
Que me fascinam a cismar
Nas pessoas que p'lo Mundo riem e choram
Muitas pecadoras que a Deus oram
Rogando-lhe para as salvar
 
Nas perturbações por toda a Terra
Pela gente que na intriga se esmera
Nas desavenças e guerras em quantidade
 
Nas pessoas, umas amor a prodigalizar,
Outras teimosamente a odiar
Ah! Quão complexa é a Humanidade!
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 18:32

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009

AS PESSOAS ADOPTARAM A INSENSATEZ

 Ver imagem em tamanho real
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 El-Rei D. Sebastião, exemplo de
flagrante insensatez, ao provocar
a batalha de Alcácer Quibir
============================
 
  As pessoas tão levianas estão a ser
Que fico perplexo nelas a meditar
Mas o que se estará a passar?
Interrogo-me sem compreender
 
O que estará a acontecer?
Será que estou a sonhar
Dormindo em frenesi a delirar
Que sonho é mesmo para não entender!
 
Mas abro bem os olhos, apuro bem os ouvidos,
Para ter a certeza que meus sentidos
Julgam, despidos de altivez,
 
Que afinal vejo e ouço bem de verdade
Assim, fica-me a amarga realidade,
Que as pessoas adoptaram a insensatez
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 18:34

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 22 de Setembro de 2009

NO TEMPO SE NASCE E SE MORRE

Ver imagem em tamanho real 
 
 
  
 
 
 
 
 O tempo avança sem dó sem que se importe
Com as pessoas já na idade avançada
Quando avistam o fim da estrada
Da sua vida, calcorreada com ou sem sorte
 
E no seu fim o abismo da morte
Onde tombam na terra sagrada
Que as engole como que esfaimada
O tempo assim o impõe cruel e forte
 
Nele, tudo de mau e bom ocorre
No seu espaço se vive e se morre
Quando! É nas pessoas incerteza
 
No tempo se nasce para viver
Nele se acaba por morrer
É o mistério de Deus na Natureza
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 12:02

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

ESTARRECIDOS OLHAMOS MÃE SEM VIDA

 
 O dia mais triste da nossa vida
É aquele em que perdemos
A mulher mais terna querida
Que nos moldou em seu ventre enternecida
Qu'em amor concedido jamais igualaremos
 
Dia negro fatídico a amargurar
A nossa existência enquanto viventes
Nele ficamos estarrecidos a olhar
Mãe sem vida que sonhámos não mais findar
Fim que, incrédulos, freme nossas mentes
 
Dia cruel que grava a sangue em nossa alma
A dor, p'ra que não mais a apaguemos,
Que pérfida em nós ruge em nós brama
Que só se amaina só se acalma
Quando por ironia também morremos
 
Dia macabro que friamente
Nos observa durante as horas e momentos
Que velamos a mãe que dorme eternamente
Às nossas mágoas de todo indiferente
Já livre de maldades e tormentos
 
Dia pérfido que até nos acompanha
Tal a frieza que nele se encerra
À campa da mãe onde mais se ufana
A ver nosso chorar em dor insana
Quando o corpo sacro baixa à terra
 
            João M. Grazina (Jodro)
 
publicado por CAMAGE às 17:36

link do post | comentar | favorito
Sábado, 12 de Setembro de 2009

SE ASSEMELHAM

 
 O cuco, mesquinho e maldoso,
Vai sem escrúpulos, sem pudor,
Seus ovos nos ninhos de outras aves pôr
De modo subtil, ardiloso
 
Talvez insensível ao amor, ou preguiçoso!
Ou quem sabe, desprovido de valor,
P'ró ninho construir com arte e ardor
Como as aves que o talham gracioso
 
Ao cínico cuco se assemelha o Homem
Ignóbil, despido de honestidade,
Que a razão amordaça na voragem
 
Da que apregoa repleta de falsidade
Que esconde na cínica camuflagem
Da mentira que impõe como verdade
             João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 16:32

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Setembro de 2009

DESGOSTOS INFINDOS

 Tantos desgostos me martirizando
Ao longo da minha já extensa vida
Razão da alma entristecida
Com os desgostos jamais findando
 
Inconformado neles sempre cismando
Uns naturais outros de forma concebida
Por gente que brotou da mesma mãe querida
A minha! Intranquilo me deixando
 
Ah! A vida ninguém a entende
Tal saber ao Homem não se estende
Reduzido a simples cogitações
 
Também eu sou um homem reduzido
A meditações sem lhes apreender o sentido
Apreendo os desgostos, profundas decepções!
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 18:17

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 2 de Setembro de 2009

POESIA SEMPRE EM MIM CORRERÁ

  Na poesia por vezes fico indefinido

Quanto à forma de a engendrar
Sem saber por onde a começar
Por nada me ocorrer ao sentido
 
 Mas logo meu coração é abrangido
Pelo sentimento de todos amar
E com doce ternura vai acordar
Meu estro que se encontrava adormecido
 
E poemas brotam de meu ser falantes
Como rio de águas correndo sonantes
Jamais secando seu prateado caudal
 
Também a poesia sempre em mim correrá
Sua corrente vigorosa não mais secará
Banhando terras do meu lindo Portugal
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 21:37

link do post | comentar | favorito