.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. MEU DEVANEAR

. O VERDADEIRO E O MENTIROS...

. SAUDADES DUMA VELHINHA

. DO VENTO NORTE ME LEMBREI

. AVE SOLITÁRIA

. ESCRAVO DA AMBIÇÃO (O EGO...

. A SUPORTAR O MAL

. OLHANDO O SEU PASSADO

. AMOR É DOCE MOSTO NUM SER

. DISCURSOS SÃO PALAVRAS BU...

.arquivos

. Junho 2018

. Maio 2018

. Janeiro 2018

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Setembro 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.favorito

. INTRANQUILO

blogs SAPO

.subscrever feeds

Quarta-feira, 29 de Julho de 2009

CORAÇÕES INSENSÍVEIS AO BEM

Corações duros, áridos d'amor,
De solidariedade despidos
Como que em granito convertidos
Ou em espinhos duma brava flor
 
Corações malignos vertendo rancor
Em pústulas de ódio pervertidos
Que atiram em todos os sentidos
Como demónios em delirante furor
 
Corações insensíveis ao bem
Ao amor e carinho que olham com desdém
Enlevados somente na crueldade
 
Perversamente nela a delirar
Do amor seu perfume não aspirar
E sem amor não há felicidade
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 17:58

link do post | comentar | favorito
Sábado, 25 de Julho de 2009

A LABAREDA DO AMOR

  Amor é uma labareda constante
Que arde sem jamais se extinguir
Em nossos corações em ardente sentir
Em rubra chama crepitante
 
É um fogo sem tino, anelante,
Que nos deixa intensamente a fremir
Sem o conseguirmos reprimir
Chama que nos dulcifica delirante
 
Quanto mais arde melhor é esse sabor
É aprazível chama ateada pelo amor
Onde ardemos das dores esquecidos
 
Amor é uma labareda deliciosa
Que nos beija queimando-nos sequiosa
E que só acaba quando a cinzas reduzidos
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 16:39

link do post | comentar | favorito
Sábado, 18 de Julho de 2009

DESTINOS SEMELHANTES

  Olhava, olhava abstractamente,
O campo juncado de flores e ervas
E meditava como eram servas
Da Natureza, absolutamente!
 
Que as dominava naturalmente
As fazia, batidas pelo vento agitar,
Para seu contentamento bailar
Com gáudio, inteiramente!
 
E vinha-me à memória crianças
Por esse mundo sem esperanças
Por homens sem escrúpulos coagidas
 
Pressentia-as chorando com desolação
Confrangendo-se-me o coração
A cismar nas suas indefesas vidas
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 22:23

link do post | comentar | favorito
Domingo, 12 de Julho de 2009

O FINGIR

Ver imagem em tamanho real
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Uma dor me dilacera
Ver fingir ao desbarato
Ó vida és uma quimera
Tortura em que me arrasto
 
E penso amarguradamente
Tolhido pela comoção
O Homem é um demente
Que tenta sepultar a razão
 
Trajado de falso sorriso
Expressando o que não sente
Que eu não atino nem viso
E sou ultrapassado em mente
 
Mal nasce, logo começa a fingir,
A verdade faz corar
Ao vê-lo com choro a iludir
A mãe, só para o adular
 
Singra assim pela vida fora
Desprezando o belo que esta contém
Do fingir colhe frutos hora a hora
Que importa se com isso se dá bem
 
Tem um pensamento anão
Fingir, para ele é bagatela,
Julgando sepultar a razão
Acaba soterrado nela
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 16:11

link do post | comentar | favorito
Domingo, 5 de Julho de 2009

SOU A VELHICE

Sou a velhice, já nada valho,
Pertenço ao antigamente
Tento mas em tudo falho
Sou sombra de mim somente
 
Sou ruína dum passado
Em que os homens eram a sério
Francos, leais, num moldado,
De rudeza pura de mistério
 
O tempo em mim avançando
Foi minha juventude esvaíndo
E o fulgor foi-me faltando
E eu mordazmente fui rindo
 
Rindo de mim próprio, escarnecendo,
Daquilo que fui e já não sou
Sarcástico, ironicamente enaltecendo,
O nada que de mim sobrou
 
E fico triste, desolado,
Não choro porque não sou de chorar
Quando vejo um jovem, afundado
Na droga, só para não lutar
 
Mas mantenho esta firmeza
Do franco leal e rude
Que só a disciplina é a certeza
De formar bem a juventude
 
Das minhas ruínas, restos do meu ente,
Cheirando trabalho e lealdade
Desejo que a juventude presente
Volte sensibilizada à da minha idade
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 16:04

link do post | comentar | favorito