.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. SAUDADES DUMA VELHINHA

. MEU DEVANEAR

. DO VENTO NORTE ME LEMBREI

. AVE SOLITÁRIA

. ESCRAVO DA AMBIÇÃO (O EGO...

. A SUPORTAR O MAL

. OLHANDO O SEU PASSADO

. AMOR É DOCE MOSTO NUM SER

. DISCURSOS SÃO PALAVRAS BU...

. A FELICIDADE QUE IDEALIZO...

.arquivos

. Janeiro 2018

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Setembro 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Janeiro 2015

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.favorito

. INTRANQUILO

blogs SAPO

.subscrever feeds

Sábado, 25 de Abril de 2009

SERÁ A MORTE A VERDADE DE DEUS?

 
Às vezes quando menos se espera
Desaparece uma pessoa da vida
Que ainda ontem enternecida
Olhava a florescente Primavera
 
A gente amiga com quem feliz se dera
Uma figura muito sua querida
Em inquebrável amor a ela unida
Que só a morte quebrar pudera
 
E cisma-se, porque tem de haver a morte!
Sobretudo porque é ela a mais forte
Que todos tomba matando sem piedade!
 
As pessoas que se amam separando
Uma a uma p'ró seu covil levando
Ó meu Deus! Será a morte a tua verdade?
.
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 16:22

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 20 de Abril de 2009

VIVEMOS NA INTRANQUILIDADE

 Ver imagem em tamanho real
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Olha a Humanidade em decadência
Olha o Homem no seu fadário
A desperdiçar perdulário
Da vida a verdadeira essência
 
Olha Deus em magnificência
P'ra todos só no imaginário
Vivendo no Universo, solitário,
Jamais nos mostrando a sua presença
 
Olha nós vivendo na intranquilidade
Despidos de solidariedade
Sem sabermos da vida o que pensar
 
Olha Deus que nossas vidas cerra
Transformando-as em negra terra
Certo! Sermos só terra a aumentar
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 21:52

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 17 de Abril de 2009

BONS E MAUS MOMENTOS

 Colher a rosa bom momento
 Ser picado pelos espinhos mau momento
             (Exemplo)
 
 
 Na vida todos temos bons e maus momentos
Que ora chegam ora se vão embora
Neles se ri  neles se chora
Tocados por graças ou tormentos
 
Razão porque em risos ou lamentos
De qualquer instante de qualquer hora
Intranquilos seguimos pela vida fora
Até ao momento em que perecemos
 
Nos parecem os momentos bons
De curta duração seus lindos tons
Que no tempo se esvaiem velozmente
 
E os momentos maus não mais findando
Com horríveis tons nos arrepiando
Parecendo durar eternamente
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 17:56

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 10 de Abril de 2009

DEUS

   
 
(Exemplo)
      Adão e Eva
 
 DEUS, CRIADOR DO BONECO VIVO
            (Vulgo Homem)
 
Não sou mais que a ilusão de ser alguém
Sou, isso sim, boneco vivo por Deus criado,
Com que brinca a passar seu tempo no além
E me afasta sem desdém quando saturado
 
Procedimento que conformado aceito
Porque vindo de quem me criou é de aceitar
Sou boneco que às vezes não lhe dá jeito
Paciente aceito sua forma de gostar
 
Sempre ouvi dizer que é Ele que manda
O Criador não se deve contradizer
Se Ele diz, sai daqui, desanda,
Di-lo suavemente, mas p´ra lhe obedecer
 
É como as inocentes crianças na atitude
Arruma-me p'ra qualquer nicho
É que também elas em plenitude
Atiram seus bonecos velhos p'ró lixo
 
Enquanto eu fui boneco novo
Fiz feliz o seu coração sagrado
Agora já boneco velho sou estorvo
Tristemente p'ra um canto lançado
 
E quando o meu Criador com ou sem tristeza
Deixar p'ra sempre comigo de brincar
Deitar-me-à à terra de certeza
Boneco ninguém em terra a tranformar
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 18:46

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 6 de Abril de 2009

CORAÇÃO EM PRANTO

 Há em meu coração profundo pranto
Chora quem tanto queria e lhe morreu
Que para sempre o entristeceu
Atribulado por esse desencanto
 
E vive em melancólico quebranto
Sua vivacidade esmoreceu
O belo da vida ignorou, esqueceu,
No desaparecer de quem gostava tanto
 
O que um dia lhe coube em felicidade
Não passa agora de mísera lembrança
Saudade, somente saudade,
 
Que de martirizá-lo não se cansa
A lembrar-lhe os que foram a sua verdade
Se foram na morte e vibra sem esp'rança
 
            João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 12:20

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 1 de Abril de 2009

PERVERTIDA PELO HOMEM

 
Ver imagem em tamanho real 
 
 
 
 
 
 
 A Natureza está pervertida
O Homem insensato a perverteu
 A sua destruição empreendeu
De forma ambiciosa desmedida
 
 A beleza no natural contida
Não interpretou ou não o desvaneceu
O lucro o alucinou o ensandeceu
Por ele enveredando sempre, de seguida
 
E o Planeta inocente a girar
Com o Homem perverso a degradar
A divina Natureza que o contém
 
Em aberrante procedência
Desprezando a razão, falho de consciência,
Imbuído de pernicioso desdém
 
           João M. Grazina (Jodro)
publicado por CAMAGE às 17:51

link do post | comentar | favorito